CORRIDA DO DIA DOS PAIS - 13-08-2017 - SÃO JOSÉ DOS PINHAIS

Neste domingo dia 13-08-2017 foi realizada a 2ª etapa do circuito de corrida de rua de SÃO JOSÉ DOS PINHAIS.
Eu não havia ainda decidido se iria participar do evento desde a abertura das inscrições, por razões particulares, o que acabei decidindo algumas semanas antes.
Já haviam na lista de inscrições mais de 40 JACARÉS e eu não tomava um rumo sobre o que fazer, na qual participar, após estar ciente de que poderia correr em uma delas, a Policia Militar onde haveria mais de 5000 participantes, o desafio INTER PRAIAS de 12 km em Balneário fazendo todo o percurso do INTER PRAIAS com aquelas subidas desafiadoras "passeando" pela orla naquelas vistas maravilhosas ou estar no reduto dos JACARÉS, correndo em casa, "desfilando" pelas ruas da cidade.
Após concluir a inscrição dos JACARÉS no inicio de JULHO, avisei ao SAMUEL de que provavelmente iria participar, mas nada de se inscrever...rsss...mas após isto coloquei a TODOS sobre a corrida KIDS que haveria no sábado e que poderia fazer as inscrições de quem talvez quisesse, e a surpresa foi grande pelo numero de solicitações para tal.
Ai não tinha mais retorno...rss...era essa mesmo, sem duvida, a de SJP....e de imediato fiz a inscrição da Luisa também. 
E foi ai que começou a se desenhar algo QUE EM ALGUM LUGAR alguém deve ter construído para mim e sou eternamente grato. Conversei com a LUISA sobre falar com a mãe do LORRAN, um dos alunos da ESCOLA ESPECIAL MADRE PAULINA, para ver se ela não traria ele para a corrida KIDS, pois ele já havia a alguns anos atrás ido participar da KIDS DA LUA CHEIA no parque TINGUI, sob a responsabilidade  da Celinha e nós (eu e a Luisa) sabíamos o quanto ele gostava de correr.  A Luisa somente mencionou para mim que logo seria o aniversário dele e que ele ficaria feliz em participar, mas quando fui "calcular" a idade do Lorran, veio a surpresa de que ele iria completar 18 anos e a data limite do KIDS era 15. De imediato avisei a Luisa de que se a mãe trouxesse ele no domingo eu iria inscrever ele e eu iria correr junto com ele.
A mãe concordou e lá fui eu fazer a inscrição dele, onde aqui agradeço ao SAMUEL que na hora que fui pagar a inscrição, me avisou para inscrever ele como PNE e que a inscrição não seria cobrada. (Que DEUS te abençoe sempre Samuel). Na escola, sabendo de que iria correr, o garoto todo dia estava eufórico, não vendo o dia de poder correr. Nesta correria quem quase ficou sem inscrição fui eu, pois nem havia percebido de que eu não havia feito a minha...rsssss
Com a confirmação de vários JACAREZINHOS inscritos na KIDS sábado, já fui instalar as tendas, e alguns apetrechos colocados a disposição dos mesmos e principalmente agua, o que devido ao sol forte, varias outras crianças vieram pedir se poderiam pegar...rsss.
ME perdoem, mas não vou dar nomes aos KIDS, porque com certeza, NÃO lembro o nome de todos.,,,rss   
Uma prova impecável, muito bem organizada, presença de grande numero de participantes, lotando o ginásio para as categorias de 100 m e 200 m, o que associado ao lançamento do projeto CIDADE ATIVA, CIDADE SAUDAVEL, trouxe mais publico ainda para o local.  Um grande número de pessoas assistindo as provas de 400 m, 600m e 1000 m na rua em frente ao ginásio.
Uma tarde de sábado abençoada e cheia de alegria com  os sorrisos, os choros estampados em muitas crianças...que passam a ter já uma noção de que a disciplina no esporte é um aprendizado para a vida, que a maior vitória é aprender o respeito, a convivência, e é fundamental na formação da personalidade e no caráter do ser humano no amanhã. 
Após um sábado maravilhoso, a expectativa para o DOMINGO, corrida dos PAIS, encontro com a JACAREZADA e aquele comprometimento em participar da prova nos 05 km com o Lorran. Nas conversas anteriores ao domingo, em que conversei com alguns sobre o fato, eu dizia..."o problema é o rapaz disparar e quem vai acabar quebrando sou eu..rssss".
Não vou esconder que acordei na madrugada, já para ir ao local levar os apetrechos preocupado com o que, e como, iria ser acompanhar o garoto. Tudo arrumado no local, o dia clareando, mostrando que seria mais um dia ensolarado, aos poucos um e outro JACARÉ chegando, um e outro atleta avulso ou de outra equipe que não instalou tenda, pedindo para deixar seus pertences nas nossas tendas, a hora passando e a expectativa aumentando.
Ele chegou com alguns minutos de antecedência, a Luisa colocou chip e o numero, ele já estava com a camiseta do Jacaré que já tinha sido entregue dias antes...e sinceramente não sei quem estava mais ansioso...eu, ele ou a mãe dele...rsss
A JACAREZADA em grande numero, foi dada a largada e eu segurei ele para esperar um pouco e sair mais atras.   E eu falei a ele para não disparar, para ir me acompanhando no meu ritmo, para ficar do meu lado, olhar sempre para frente e ver o que tinha pela frente, pois sabia o quanto ele tropeça nas próprias pernas..e a partir daí.....alguma coisa nos transformou....pois eu não percebi passar os 5 km...foi como se não tivesse corrido e nem caminhado.....mas simplesmente flutuado no trecho..não vi o tempo passar, não percebi as subidas, foi algo tão rápido, que de repente estávamos no portal de chegada. Ele foi praticamente o trecho todo, super obediente, determinado, onde o segurei no inicio para não disparar e em algumas esquinas tive que chamar a atenção dele pois ele facilmente se distraia com os guardas municipais...rssss...e no ponto de hidratação, não permiti que ele pegasse agua, pois ele vinha em um ritmo de quem já corre a muito tempo, em nenhum momento andou ou parou, sempre contente, feliz da vida e em uma reação espontânea faltando menos de um km, ele perguntava se iria ter medalha, como se entendesse corretamente o quanto já tinha percorrido e o quanto faltava para chegar. No percurso alguns JACARÉS e outros atletas passavam por nós e até passamos por alguns, onde eu cumprimentava e ele tomava a mesma atitude naturalmente...e quando perguntava a ele se estava tudo bem...ele dizia que sim e fazia a mesma pergunta.."e você, está bem?"....rssss
Ao chegarmos ao ginásio, entrando no portal a mãe dele o aguardava, e ele me abraçou por primeiro com muita força, e foi ai que senti o abraço do meu filho em mim.....e entendi porque tudo foi tão fácil, tão perfeito...e ele abraçou a sua mãe e ela ao me abraçar agradecendo, percebi que os seus olhos lacrimejavam e falei a ela que o LORRAN não era um filho especial e sim hiperespecial, ela que sempre foi e é uma mãe presente, dedicada e que sempre fez o melhor pelo Lorran, que tendo um pai distante (falando de distancia), mas que também sempre esta em contato com ele e vem visita-lo sempre, e que ele Lorran e o seu padrasto sempre estão em sintonia e se dão super bem.....são exemplos de que o AMOR não tem limite, distancia, barreiras e diferenças.
Após pegar sua medalha, pedi para a mãe aguardar pois haveria troféu para PNE, e isso eu não tinha contado a ele.  Entre uma entrega e outra de troféus, solicitei ao Samuel se poderia antecipar a dele, para ele ir embora, pois tinham outros compromissos e fui prontamente atendido....e a alegria do garoto era imensa...a emoção da mãe inexplicável....e a minha alegria e a da Luisa imensas....e após descer do palco e ver o quanto ele foi cumprimentado por vários conhecidos..já considerava o meu domingo quase perfeito...rsssss
Com a continuidade da premiação, chamaram o Aurélio para o pódio, depois a Maria Luisa, depois o Francisco Ferreira....e maior ainda a surpresa com a chamada para o terceiro lugar como maior equipe/assessoria....pois mesmo com a corrida da PM em Curitiba, haviam varias equipes tradicionais inscritas na corrida de SJP...e considerava o meu domingo quase MAIS perfeito...rssss
Me perdoem JACAREZADA, por falar só quase do LORRAN, mas foi uma experiencia recompensadora, foi algo gratificante, emocionante.
PARABENIZO A TODOS pela presença no evento, aos familiares que chegaram depois, a TODOS que desfilaram com o MANTO AZUL, que representaram MAIS UMA VEZ brilhantemente a EQUIPE, onde tive a alegria de ver sobrinhas e outros familiares participando tanto no sábado quanto no domingo.
AGRADEÇO aos que levaram as "guloseimas", aos que ajudaram na desmontagem das tendas, ao Edson da Assessocor que trouxe as mesmas, ao SAMUEL por ter cedido gratuitamente a inscrição do Lorran, por ter me avisado a colocar ele como PNE.
Duas situações mencionadas acima tenho que concluir...rsss..
- quanto ao meu domingo quase MAIS perfeito (mencionado quase no final do texto).....rsss...ERA DIA DOS PAIS, senti o abraço do meu filho no abraço do Lorran, mas faltava o abraço da minha filha, a qual estava representando a EQUIPE junto com mais alguns JACARÉS na corrida da PM em Curitiba, onde ela correu como MILITAR e a qual tenho o MAIOR ORGULHO....e ai sim depois de encontra-la e receber seu abraço meu DOMINGO foi perfeito.
- no inicio do texto mencionei "E foi ai que começou a se desenhar algo QUE EM ALGUM LUGAR alguém deve ter construído para mim e sou eternamente grato.".....só tenho a agradecer a DEUS...que desenhou e fez acontecer um FINAL DE SEMANA maravilhoso, que permitiu em algo tão simples, transformar um domingo não só de um garoto, não só de uma família, mas de muitas pessoas que conhecem o Lorran, que faz com que percebamos que as pessoas ESPECIAIS não tem que viver isoladas no seu mundo, que é possivel com gestos tão pequenos transformar a vida delas e fazer com que elas não só vivam uma vida normal, mas que façam parte do dia a dia de cada pessoa normal.  Agradecer a DEUS por me presentear com filhos maravilhosos, por ter colocado a Luisa no meu caminho e pelos AMIGOS que a cada dia se tornam mais importantes em nossas vidas e se surgir uma oportunidade de você fazer o BEM, não olhe e não se importe para QUEM, (isso tem um JACARÉ que me diz sempre..rsss)  pois DEUS nos recompensa e sou eternamente grato a ELE.

VALEUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU JACAREZADA.
SHOWZAÇO ...nesse final de semana.


CLAUDIO GURAS




PRIMEIRA MARATONA - SP City Marathon 2017 - 30/07/2017

Uma História de Superação
Nunca deixe que ninguém ou algum problema te impeça de alcançar algo na vida.
Lembro até hoje quando fiquei 3 anos com dores fortes no joelho esquerdo devido incidente em 2005. Nesta época trabalhei várias noites e madrugadas com dificuldade até para caminhar.
Felizmente Deus trabalhou minha vida e após mudança para Curitiba encontrei um especialista em medicina esportiva que operou meu joelho em 2008. Após um período de fisio e ganho de massa, cheguei aos 84kg e altos índices de colesterol e triglicérides. Depois de alguns sustos e puxões de orelha dos médicos, iniciei os treinos de corrida com a Connect Sports em abril de 2014.
Neste tempo quase desisti devido exames indicarem leve arritmia cardíaca e moradia na Romênia por 18 meses, porém a crença de que minha saúde seria importante para meu trabalho e que minha família precisa de mim assim como eu preciso dela, me fizeram persistir. Neste período, muitas pessoas me ajudaram e fazem parte desta história de superação. Obrigado a Deus pela minha fantástica esposa Lilian que me acompanha na jornada, aos amigos que fiz na Romênia, aos amigos das Equipes Connect Sports e Jacaré de Conga e todos amigos e familiares que me incentivaram.
No princípio tinha o objetivo apenas de controlar minha saúde, mas com o passar dos treinos a vontade de correr mais longe, em lugares diferentes e com pessoas diferentes me fez adquirir uma grande paixão pela corrida de rua.
42K, só os loucos sabem...
Sobre a prova - Durante a prova não tive problemas com bolhas, assaduras ou desconfortos, porém fui vencido pelas câimbras repentinas. Foi possível manter um ritmo confortável até km30 conforme planejado, mesmo nas subidas, porém no km 35,5 travei com câimbras fortes na panturrilha da perna esquerda e coxa da perna direita. Foi amenizado com gelo gentilmente fornecido por um voluntário que estava na distribuição de água da prova e consegui continuar correndo, porém voltou novamente com mais intensidade nas duas pernas no km 40 e felizmente uma corredora que acredito foi colocada ali pela minha querida Vó Hercília (ontem completou 1 ano do seu falecimento) me ajudou com um aerosol e creme para finalizar a prova com muito esforço e dores fortes.
O melhor de tudo estava no final, onde fui recepcionado pela minha família com muito carinho e depois ganhar um bolo de presente ao chegar em casa.

Em resumo foi muito bom e agora é trabalhar para a Maratona de Curitiba. 
Bora para o próximo desafio e sebo nas canelas!

Adalberto "Adalba" Camargo


2ª CORRIDA SANTOS DUMONT - CINDACTA CURITIBA - 28/07/2017

Participei da 1ª edição ano passado e fiquei encantada.. não parecia que teria corrida melhor, doce engano!!
A 2ª Corrida Santos Dumont foi simplesmente  fantástica! E em todos os sentidos.. foi uma noite de puro entretenimento, com uma corrida pra esquentar a noite fria de Curitiba.
Tudo indica, que  foi  um evento minuciosamente planejado para que pudesse surpreender os mais 5000 inscritos dessa edição.  Teve trio elétrico com um show incrível do U2 Cover, teve o personagem do Santos Dumont para as fotos, a presença ilustre dos corredores campeões Marilson dos Santos e Juliana dos Santos, a simpatia e educação de todos os envolvidos no Cindacta,  banheiros químicos em quantidade suficiente para atender a todos (  instalados em locais iluminados e com papel higiênico de sobra!!!)
Em nossas tendas, instalada já no dia anterior, fruto do trabalho do nosso querido presidente Claudio, uma mesa farta de guloseimas..  só senti falta de um bolo de cenoura lá, rsrsrs , muitos Jacarés, inclusive alguns que não foram pra correr, apenas para ajudar a cuidar da tenda, ver o show, prestigiar o evento.. tivemos a grata satisfação de dividir a tenda com a equipe CR Runners, pelos motivos já explicados pelo Claudio em e-mail.. o que nem seria necessário, visto que como Familia Jacare que somos, é natural que tenhamos acolhido mais amigos em nosso abrigo.
Minha largada com alguns Jacarés, levou mais de 9 min, devido ao grande numero de atletas presentes, mas nada tirou o brilho dessa festa.. ao adentrar a pista do Cindacta, parece que uma magia acontece, a gente se sente pequeno diante daquela imensidão onde parece, chão e céu se encontram; e ao mesmo tempo, gigante por correr naquela pista, com milhares de lanternas oscilando no horizonte e com a vista maravilhosa de uma Curitiba iluminada e linda! Impossível não agradecer a Deus esse momento..
Ao final do percurso, foi novamente servido uma sopa deliciosa,  entregue uma medalha linda e de volta a tenda, só o que  se via, era  muita alegria de todos pelo evento.
Pensando aqui, sobre a tenente Melissa, que virou fã dos Jacarés de Conga baseada apenas no que viu durante um evento, fico imaginando o que seria então, se ela tiver acesso a esse blog, cheio de experiências e exemplos de superação,  aventuras, alegrias , parcerias e acima de tudo, amizade desse grupo maravilhoso do qual me orgulho de fazer parte.
Obrigada a todos pela participação! Obrigada Jacarezada, por mais um evento de sucesso!

Até a próxima!!

Adriana "Drika" Vieira


CIRCUITO EUROPEU VALE CATARINENSE - 13 à 17/07/2017

Desafio Vale Europeu/Julho 2017.


Já algum tempo atrás, Eu (Tania), Wellington e Cláudio programávamos fazer o circuito do Vale Europeu, e assim nos organizamos para tal acontecimento.
Iniciamos nossa aventura na quinta feira dia 13/07 quando saímos de São José dos Pinhais Pr,  rumo a Timbó SC, onde se inicia o percurso, quando chegamos já era noite, acomodamos  nossas coisas no Hotel Irias o qual segundo o Wellington as camas não se adequavam ao seu pequeno tamanho, kkk (eu e o Cláudio não  temos reclamações) e saímos para conhecer o início do percurso retirando nossos passaportes, mapas e orientações sobre o percurso que fica no restaurante Thapyoka que ficava uns 200m do hotel.
No retorno ao hotel, caminhávamos tranquilamente.... quando o Sr Wellington transtornado solta a bomba que faz mudar nossos planos no início da manhã seguinte.
-"Esqueci minhas sapatilhas!!!"
Pois é... todo mundo tirando um sarrinho de mim, loucos esperando pra saber o que eu havia esquecido dessa vez...kkk, mas essa eu passei, kkkk
Depois de rirmos o bastante e tirar muito sarrinho dele voltamos ao hotel, Wellington dormiu esperando Papai Noel e com meia perna pra fora, kkk

Nosso 1° dia 14/07/2017

Expectativa...
Tomar café as sete e partir, realizando neste mesmo dia o 1° e 2° dia do programa do Vale Europeu, retornando ao hotel no final da tarde,  eu e Cláudio aguardaríamos no Hotel Indaial enquanto Wellington pedalaria mais 10km para buscar o carro em Timbó e traria para o hotel onde passaríamos à noite.
Pedalar 83km neste dia.

Realidade....
Tomamos café as sete, organizamos as bikes, me aproveitei do amigo que tinha bagageiro para levar minhas poucas coisas (ninguém mandou ele ficar se vangloriando que tinha bagageiro, hahaha) guardamos as coisas no carro que ficou estacionado no hotel e saímos.... aí.... o Wellington sentiu uma grande necessidade em achar uma loja de bike, para trocar o pedal, pois estava calçando tênis e não aguentaria pedalar com clip. Correto. Se não nosso pedal acabaria no primeiro dia já, depois de uns 8km de andanças minha e do Wellington porque o Cláudio mais que ligeiro ficou aguardando em um determinado ponto se recusando a pedalar mais do que estaria previsto. Problema do Wellington resolvido, iniciamos o circuito às 9:30 mais ou menos de Timbó a Pomerode, no meio do caminho encontramos uma nativa, rsrsrs, uma pequenina cobra coral de temperamento forte atravessando a estrada de chão, se não fosse o Wellington eu teria passado por cima dela, pousou para algumas fotos e demos continuidade ao pedal, Cláudio e eu aproveitamos para papear com as vacas, mais algumas fotos, até chegarmos ao final do  primeiro dia em Pomerode, já eram por volta das 14 h paramos para o almoçar e um brevíssimo descanso.
Retornamos ao pedal de Pomerode com destino à Indaial que no circuito normal seria o 2° dia, lindas paisagens, um dos roteiros mais bonitos em minha opinião, muitas casas de imigrantes alemães, sem muros altos, cercas elétricas ou qualquer item que utilizamos em nossas cidades para nos proteger, graças a Deus tudo correu bem apesar do imprevisto, nenhum pneu furado, acidente ou bike quebrada, nestes dois percursos havia lugares para comer, beber e banheiro a vontade, chegamos ao final do percurso programado por nós e pedalamos mais 10km para buscar o carro, porquê apesar de tudo somos parceiros.
O Hotel Indaial já era nosso conhecido, lá o Wellington não teve problemas com cama, rsrsrs, e a ducha vale a pena depois de todo o cansaço para relaxar
Resumo do dia... quase perfeito, se não fosse as pedaleiras do Wellington, kkk
Pedalamos mais ou menos 105km neste dia.






Nosso 2° dia de Vale Europeu
15/07/2017




EXPECTATIVA...
Tomar café as sete e sair, pedalando o 3°, 4° e 5° dia do circuito programado pelo Vale Europeu em um único dia, almoçar em Dr Pedrinho e dar continuidade até chegar a Pousada Duwe em Altos Cedros do simpaticíssimo Sr Raulino.
Distância a percorrer 98 km

REALIDADE...
Levantamos cedo, café as 6h, preparamos tudo para nosso dia mais difícil, por vários motivos, nível de dificuldade, distância, sem sinal de telefone ou Internet, sem lugares para comprar água ou comida  e ainda o peso das bagagens.
Iniciamos o trecho de Indaial à Rodeio, sem morros, bem plano, apenas 26,7km, muito paralelepípedo, porém difícil devido ao desconforto causado pelo selim, rsrsrs, no caminho paramos para tomar um café e comer algo (Sorte a nossa!!!) e pegar um carimbinho em nosso passaporte.
Chegando na cidade de Rodeio final do 3° dia, paramos em uma loja de bicicletas para pegar mais um carimbo graças ao Cláudio porque eu e o Wellington já estávamos a caminho do 4°dia,  compramos a camiseta do circuito menos o Cláudio, pois não havia seu tamanho, ganhamos uma lubrificação das correntes e compramos água para subir o maior desafio do dia, o morro do Ipiranga, muito conhecido por morro dos anjos,  seguimos em frente e pedalamos, pedalamos, pedalamos e nada de morro... achando muito estranho... continuamos, aí vimos a placa indicando limite de município Rodeio e Timbó, ficou um pouco mais estranho... pois além de não chegar nunca no morro saímos no final do circuito, o Cláudio transtornado olhou pra mim e balançou a cabeça e o Wellington no meio da ponte sem se dar conta do erro que cometemos. Pensei em rir na hora, mas o negócio ficou sério, tínhamos pedalado uns 20km a mais e teríamos que voltar para o início do 4° dia pedalando, começamos a voltar, porém não tínhamos tempo, então, saímos a procura de uma carona que levasse nossas bikes e nós, a primeira tentativa não deu certo, a segunda também foi rejeitada, continuamos insistindo até que encontramos o primeiro anjo do nosso percurso que nos levou até o início do 4° dia, Graças a Deus...
Já bem chateados pelo tempo e pelo esforço a mais feito de graça iniciamos os 8km de morro logo de cara, os 4 primeiros km subidas pedaláveis com  até razoável tranquilidade, lindo caminho cheio de anjos e capelinhas,  na metade do morro muito anjos, com um grande Cristo, lugar visualmente e espiritualmente encantador...
Fizemos uma parada para contemplar o lugar, reabastecer as forças e continuar os outros 4km de subida, a qual subestimei.... pois dali em diante era muito pesado. Não há comércio nos trechos de Rodeio até Alto Cedros, porém podíamos parar em qualquer casa para pedir água que sempre éramos muito bem recebidos, eu estava muito cansada, com dores nas costas, nos braços, nos quartos, nas pernas e passei parte do caminho pensando como eu diria para os meninos que eu ia desistir, ééé, eu estava arriando...então terminamos o percurso exaustos e psicologicamente afetados por nosso erro, neste dia o almoço já era, eram mais ou menos 16h e ainda tínhamos mais 30,4km pela frente, paramos em uma padaria para comer algo e eu disse:
-Eu vou ficar por aqui mesmo...não aguento mais, está me doendo tudo, vou pegar um táxi até a pousada e vocês continuam... ou pago mais uma diária de hotel pra vocês hoje, dormimos e continuamos amanhã ....
O Cláudio olhou para mim com cara de espanto quieto. Fui pra dentro da padaria fazer minha pesquisa...
Eu - Moça, tem como chamar um táxi pra mim?
Ela – Táxi? Não temos.
Eu – Uber? (kkk) nisso entra o Wellington e começa a rir da minha cara e sai correndo contar pro Cláudio.
Ela - nem Uber (mas ela sabia o que era, rsrsrs)
Fiquei espantada, ela me explicou que quando alguém que não tem transporte precisa, os vizinhos são solidários (e eu precisando dessa solidariedade, rsrsrs) aí me disse que táxi só na cidade mais próxima a uns 15km, voltei a mesa onde fui convencida a continuar sob a livre e espontânea  pressão, rsrsrs, pois o pedal acabaria pra todos naquele momento, então... decidi continuar, tomei 2 tandrilax, passei diclofenato nas pernas e pescoço e seja o que Deus quiser..
Neste momento percebi que havia perdido meu cartão do banco, e nesta hora...fazer o que?
Não foi nada fácil, pra nenhum de nós, estávamos exaustos, Cláudio expert em psicologia dividiu o último longo trecho em 6 partes de 5km, assim fomos diminuindo suavemente o percurso, pedalamos no escuro em local com iluminação apenas das estrelas (que aliás eram milhares e estavam lindas) e nossas pequenas lanternas em um desses momentos atravessou em nosso caminho mais uma figura ilustre...um Lobo Guará que rapidamente desapareceu na mata assustado.
E assim depois de pedaladas que pareciam intermináveis, avistamos nosso fim do 5°dia e junto com ele um fusca azul, da pousada do Seu Raulino com o filho e a esposa que preocupados nos aguardavam.
Grande foi nossa sorte o Cláudio ter encontrado essa pousada, daquele ponto pedalamos mais 3km que já fazia parte do 6° dia até o Rio onde seu Raulino nos aguardava com o barco que nos levaria até a pousada, colocamos os coletes embarcamos as bikes e subimos no barco, chegamos ao outro lado rapidamente, pois seu Raulino é experiente com os remos.
Nos aguardavam com uma janta deliciosamente simples, então, tomamos um banho enquanto isso seu Raulino guardou com carinho nossas bikes e partimos para a mesa repor nossas energias e partilhar nossas histórias dos dois dias que passamos com pessoas extremamente agradáveis.
Seu Raulino nos contou que começou a receber pessoas em sua casa e que mais tarde construiu sua singela e aconchegante pousada. Recebemos atendimento vip, Dona Isolda esposa de seu Raulino arrumou um quarto especialmente pra mim com cobertores na cor Rosa e Deus o livre alguém pegar o quarto da menina, kkk
Na pousada havia Internet, uauuu, kkk, para minha surpresa recebi um pedido de amizade da cidade de Rodeio, era um rapaz cujo pai ciclista pedalava pelo morro dos Anjos e encontrou meu cartão do Banco, mais um anjo em nosso caminho.
Enfim... chegou uma das horas mais esperadas do nosso dia... a cama, ahhh, que delícia, poder repousar o corpo e a cabeça após tanto esforço, mas tudo muito recompensador e só tivemos a agradecer mais um dia...
Neste dia pedalamos uma média de 120km

Amanhã teremos mais...

3° e último dia de Vale Europeu


Expectativa...
Tomar café as 8h e dar sequência aos 2 últimos dias do circuito, almoçar em Palmeiras, chegando no fim da tarde em Timbó.
Distância programada *** 76km


Realidade...
A noite foi ótima, ainda a mais com os cobertores especiais na cor Rosa, rsrsrs, mas a ansiedade era grande às 7h e 30m já estávamos tomando o nosso café, no cardápio: Pão caseiro, queijo, linguiça, ovo frito, doce de goiaba feito na  pousada, nata, banana, mexerica, cafezinho, leite e ainda suco de limão natural, tudo de bom, seu Raulino incluiu no pacote fazermos o lanche para viagem, com o que aguentássemos levar ou comer, rsrsr, Cláudio aproveitou encheu sua garrafa com o suco de Limão pelo qual se apaixonara, com grande razão.
Após o café, nossas bikes já estacionadas, Wellington prestou uma assistência as correntes, pois a poeira era abundante, bagageiro do amigo carregado no capricho, kkk, fizemos algumas fotos com seu Raulino e esposa e chegou a hora da despedida...
Então, rumo a represa, entramos no barco com nossos pertences e seguimos admirando a lindíssima paisagem ao nosso redor e rindo muito, seu Raulino muito educado com o Wellington se conteve com muita dificuldade, mal sabem, quantos bom dias e quantas vezes precisou repetir de onde era, para aquele vídeo que ele postou no face, hahaha (mas... tenho que admitir.... num é que o vídeo ficou bom...).
Chegamos ao outro lado e muito satisfeitos nos despedimos do seu Raulino seguindo em frente, iniciamos o nosso sexto dia de percurso, paisagens de tirar o fôlego, com grande extensão de represas, pois são utilizadas  para gerar energia, percurso com subidas não tão íngremes mas que exigiram muito de nós em nosso último dia, finalizamos o percurso em Palmeiras onde iniciaríamos o sétimo e ultimo dia, paramos para almoçar, reabastecer água, comida, um remedinho, uma pomadinha aqui outra ali, em fase final de percurso era muito importante, rsrsr., ao analisar o mapa com atenção, mais um baque, kkk, ao pensarmos que tínhamos 30km pela frente, verificamos que eram 53km, uuauuu, ficamos abalados, porém determinados... hora de usar aquele artifício psicológico minimizador de distâncias, hahaha, dividimos esse percurso em 11 partes e fomos embora, esse último além da distância grande havia uma extensa descida perigosa, a qual deixou nossos dedos quase travados de segurar o freio e uma íngreme subida de uns 3km de tirar o fôlego, passando isto caiu a noite e as dificuldades que não havia no percurso, tivemos com a falta de luz, pois como não tínhamos a mínima intensão em pedalar no escuro, por isso não carregamos as lanternas, eu fui a primeira a ficar sem luz, o Cláudio na sequência e o Wellington o único com luz própria, hahaha, nos aproveitamos dele muito, kkk, eu principalmente, acho que andamos uns 10 a 15 km sem luz, até chegarmos na via pela qual já havíamos passado quando erramos o percurso e pra completar o dia uns 10km desses era o que eu mais temia... paralelepípedo, maldade pura para nossos judiados  traseiros....
Enfim.... depois de tudo, chegamos.... e sabíamos que seria difícil, mas nem tanto, os contratempos foram inesperados, não contamos com eles, mas a recompensa foi a melhor, chegar ao final e poder dizer que conseguimos, juntos, com muita união e parceria que só amigos podem ser um para o outro.
Eu agradeço primeiramente a Deus, por sua proteção, que apesar dos contratempos, completamos o circuito com sucesso, sem acidentes ou grandes prejuízos a nossa integridade  física, ele nos permitiu chegar em segurança, agradeço ao Wellington por carregar minha escova de dentes em seu bagageiro, kkk, ao Cláudio pela organização do nosso evento e aos dois pelos cuidados e paciência, afinal eles andaram no meu ritmo e ainda, por não me deixarem desistir e resistir...
P.S. ao longo dos percursos pelos quais passávamos e com as pessoas com as quais conversávamos contando nossa façanha  imediatamente olhavam pra mim (com aquele olhar dizendo...com ela, hahaha)  diziam que não conseguiríamos, pois é....quase...
Vestimos a camisa do circuito com duas condições cumpridas,  a primeira era aguardar o Cláudio comprar a dele e a segunda era completar o circuito, com muito orgulho, exibimos nossos passaportes carimbados, certificado de conclusão e camisetas.
Aos nossos familiares também agradecemos, pois nos permitiram com amor de muitas formas que esse objetivo se concretizasse.
Há um mundo diferente no Vale Europeu, o qual  estamos desacostumados, a realidade que nos cerca em nosso ambiente não é o mesma, lá há muitas pessoas gentis, preocupadas com o próximo, educadas e estão sempre prontas a ajudar vestindo seu melhor sorriso...
Neste dia pedalamos uma média de 100km
E que venha o próximo desafio...

TANIA DATOVO





Quanto maior for sua coragem para enfrentar os desafios,
mais rápido você os vencerá.
Eles só aparecem quando você está pronto para vencê-lo.
Zibia Gasparetto